Por que funcionários da Votorantim disputaram quem caminhava mais

Empresa desafiou seu time a dar pelo menos 8.000 passos por dia, como parte de programa de qualidade de vida

São Paulo – Ao checar os resultados de uma pesquisa sobre a saúde de seus funcionários, a Votorantim se deparou com um dado alarmante: mais de um terço deles era completamente sedentário. O questionário foi aplicado em abril, junto aos 280 trabalhadores da sede administrativa do grupo, em São Paulo. A adesão era voluntária e 80% deles responderam. Diante da constatação, a empresa resolveu se mexer (para incentivar a equipe a começar a se mexer também). Ela resolveu desafiar os empregados a darem pelo menos 8.000 passos por dia. Para isso, criou uma competição. Os profissionais poderiam se unir em grupos de três a cinco pessoas e, após 68 dias, as equipes que conseguissem atingir mais vezes a meta de caminhada diária por integrante seriam premiadas. Perder peso e percentual de gordura era um plus. Aqueles que toparam entrar na brincadeira, então, passaram por uma consulta com o departamento médico da companhia e partiram para o exercício. O programa foi batizado de “Mais Movimento”. “Queríamos não só falar sobre a importância da atividade física, mas ajudar a mudar o comportamento dos funcionários, uma mudança sustentável”, diz Analu Garcia, coordenadora de Desenvolvimento Humano Organizacional, como é chamado o departamento de RH da Votorantim S.A. Foram formadas 31 equipes, totalizando 148 participantes. Uma delas era composta pelo presidente e por diretores da companhia. A contagem dos passos foi feita com a ajuda de um aplicativo para celular, um pedômetro. Graças a uma parceria com os desenvolvedores, a empresa conseguiu personalizar a solução para mensurar os resultados da forma como queria. O desafio ocorreu entre o fim de setembro e o começo de dezembro. Durante esse intervalo, o escritório da companhia ficou, de fato, mais movimentado, conta Analu. “O presidente queria fazer reunião andando e o pessoal começou a almoçar em restaurantes que ficavam mais longe para atingir a meta”, diz. Comportamento diferente Jorge Junqueira, consultor de investimentos da empresa, foi um dos profissionais até então sedentários que compraram a ideia. O grupo dele ficou na vice-liderança. Ele mora há cerca de 30 minutos da sede da empresa, que fica perto do parque Ibirapuera, em São Paulo, e ia trabalhar de carro ou Uber, depois de deixar o filho de dois anos na escola. Agora, faz todo o trajeto a pé. “O desafio foi um empurrãozinho para a gente começar a agir melhor. Até hoje tenho o app no celular e monitoro meus passos. De casa até o trabalho, ida e volta, dou uns 6.500 passos”, conta. Junqueira diz ainda que criou o hábito de ouvir audiolivros e reportagens durante o caminho e que isso o ajudou a começar o dia mais produtivo. “Como as equipes podiam ser formadas entre áreas diferentes, também houve muita integração na empresa. A gente tinha um grupo no WhatsApp e todo mundo sabia quantos passos cada um tinha dado por dia”, diz. O resultado foram 42,5 milhões de passos dados ao logo dos 68 dias, 108 quilos eliminados e 1% de gordura perdido por todos os participantes, em conjunto. As três equipes com o melhor desempenho por integrante foram premiadas com vale-compras de uma loja de artigos esportivos. Para o primeiro lugar, o prêmio era de 500 reais por pessoa, para o segundo, de 300 reais e, para o terceiro, 200 reais. Juntos, os três times vencedores deram 8,5 milhões de passos durante o desafio, uma média de 611.000 por pessoa. A ideia da Votorantim é repetir a experiência em abril deste ano. A empresa tem outros programas de estímulo à qualidade de vida. Um deles é um grupo de corrida, que foi reformulado e ganhou mais adesões durante o “Mais Movimento”. Outro é o desconto em mensalidades de academias de ginástica no entorno do escritório. Ela também oferece dois tipos de frutas para os funcionários três dias por semana. Por Luísa Melo access_time14 jan 2017, 08h00 - Atualizado em 18 jan 2017, 10h49 site www.http://exame.abril.com.br/